sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Dicas para garotas solteiras (em 1938)

Algumas dicas para as garotas que estavam solteiras em 1938






"Não fale sobre roupas ou tente explicar seu visual para um homem. Agrade e mime seu par conversando sobre coisas que ele queira conversar"














"Não seja chorona ou tente fazer com que ele fale algo por causa de suas chantagens sentimentais. Homens não gostam de lágrimas, principalmente em lugares públicos"









"Não beba muito, já que um homem espera que você mantenha sua diginidade durante toda a noite. Beber pode deixar algumas garotas parecerem espertas, mas a maioria fica besta mesmo"








Engraçado que parece que tudo continua do mesmo jeito... Acho que a gente só finge que mudou...

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Mães....

Mãe: Alô?
Filha: Mãe? Posso deixar os meninos contigo hoje à noite?
Mãe: Vai sair?
Filha: Vou.
Mãe: Com quem?
Filha: Com um amigo.
Mãe: Não entendo porque você se separou do teu marido, um homem tão bom...
Filha: Mãe! Eu não me separei dele! ELE que se separou de mim!
Mãe: É... você me perde o marido e agora fica saindo por aí com qualquer um...
Filha: Eu não saio por aí com qualquer um. Posso deixar os meninos?
Mãe: Eu nunca deixei vocês com a minha mãe, para sair com um homem que não fosse teu pai!
Filha : Eu sei, mãe. Tem muita coisa que você fez que eu não faço!
Mãe: O que você tá querendo dizer?
Filha: Nada! Só quero saber se posso deixar os meninos.
Mãe: Vai passar a noite com o outro? E se teu marido ficar sabendo?
Filha: Meu EX-marido!! Não acho que vai ligar muito, não deve ter dormido uma noite sozinho desde a separação!
Mãe: Então você vai dormir com o vagabundo!
Filha: Não é um vagabundo!!!
Mãe: Um homem que fica saindo com uma divorciada com filhos só pode ser um vagabundo, um aproveitador!
Filha: Não vou discutir, mãe. Deixo os meninos ou não?
Mãe: Coitados... com uma mãe assim...
Filha: Assim como?
Mãe: Irresponsável! Inconseqüente! Por isso teu marido te deixou!
Filha: CHEGA!!!
Mãe: Ainda por cima grita comigo! Aposto que com o vagabundo que tá saindo contigo você não grita.
Filha: Agora tá preocupada com o vagabundo?
Mãe: Eu não disse que era vagabundo!? Percebi de cara!
Filha: Tchau!!
Mãe: Espera, não desliga! A que horas vai trazer os meninos?
Filha: Não vou. Não vou levar os meninos, também agora não vou mais sair!
Mãe: Não vai sair? Vai ficar em casa? E você acha o que, que o príncipe encantado vai bater na tua porta? Uma mulher na tua idade, com dois filhos, pensa que é fácil encontrar marido? Se deixar passar mais dois anos, aí sim que vai ficar sozinha a vida toda! Depois não vai dizer que não avisei! Eu acho um absurdo, na tua idade você ainda precisar que EU te empurre para sair! 

(Luis Fernando Verissimo)

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Amizade entre homem e mulher

No final dá uma derrapada básica, mas que é um texto bastante elucidativo, isso é.
"Muita gente acha impossível haver amizade entre homem e mulher, isso pelo fato de que um dos dois, ou às vezes os dois, vão sempre querer algo a mais.
A questão é simples: são coisas excludentes?
O sexo faz da amizade menos amizade? Ou isso se dá somente quando existe puro interesse sexual?
Quando falamos em “sexo que estraga amizades”, a primeira imagem é a do cara que investe na amiga. As mulheres são as vítimas-padrão acerca desse tipo de conduta.
Por outro lado, o estereótipo da amizade feminina é o da inveja e competição, e o da masculina é exatamente o inverso.
Os homens são amigos sinceros, mas também interessados em sexo e em estragar amizade? As mulheres são amigas invejosas, e sempre desinteressadas em sexo ou em algo que estrague a amizade?
Não faz o menor sentido, não é? Então vamos abolir os estereótipos, porque contraditórios, e nos atrelar aos fatos. Somente a eles.
Os homens, em geral, não vêem problema algum em ter uma amizade com uma mulher e ao mesmo tempo querer comê-la. Inclusive, não há problema algum em manter essa amizade após o “ato consumado”.
Quando o camarada desaparece, não é porque a amizade toda era uma mentira. Isso ocorre porque ele apenas pretende evitar que o fato se transforme em padrão, o que faria da amizade um namoro.
Um caso não atrapalha amizade, mas namoro sim.
Quem adora atrapalhar a amizade, na boa, SÃO AS MULHERES. Isso mesmo. Enquanto os homens querem um triquetrique só para descontrair, a mulherada já pensa três jogadas adiante, buscando enlaçar o camaradinha.
Pela visão religiosa, o sexo é uma coisa suja e o amor é exatamente o inverso. Bonito, bonito. Enxuguemos a lágrima e vamoquevamo.
Sexo não estraga amizade alguma, o “amor” sim. Porque, no caso, não é exatamente o amor, mas sim a busca da transfiguração da amizade em namoro, ou coisa que o valha.
Quem gosta de estragar amizade não é o homem, mas sim a mulher.
Não é o interesse sexual masculino que estraga a amizade, mas sim o interesse afetivo feminino. Elas se dizem traídas ou atraídas inicialmente por uma amizade, mas que a mesma se “rompe” quando o homem investe sexualmente.
Cascata da braba.
Elas é que estragam a amizade quando se deixam levar pela idéia, em geral meio biruta, de que a mesma possa se tornar namoro, noivado, casamento, filhos, bodas de prata, netos, bodas de ouro etc.
O homem que busca o sexo é visto como um crápula, um boçal, um idiota que se aproveita da amizade para galgar êxito em seus objetivos carnais. Mas a mulher que busca o relacionamento amoroso, usando a amizade como aproximação, é apenas uma alma bondosa que busca a felicidade.
Na hora do fuá, é todo mundo hippie. Mas na hora de contar a história triste, são todas da Tradição Família e Propriedade.
Disso tudo, apenas tenho uma certeza: é polêmica a questão da amizade entre homens e mulheres, mas o que não existe, de forma alguma, é amizade de mulher com mulher."

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

O que o pênis faria?

Muito bom esse vídeo. E no final das contas, mente e coração não fazem a mínima diferença....





Vídeo de Levni Yilmaz, do blog Tales of Mere Existence.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Será assim no mundo todo?

Campanha do chocolate Cadbury, da Argentina. Digamos que seria um "Chuta que é macumba" portenho.
Putz, se até lá está assim, será que é o "chuta" um fenômemo mundial? Ou algo mais Mercosul mesmo, uma amostra de toda nuestra latinidad?








Pois é, um homem nunca será melhor que um chocolate inteiro...

Via A Nau dos Insensatos

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Lavagem cerebral masculina


Realmente..... tosco!



terça-feira, 27 de outubro de 2009

Você dá a senha de email para seu parceiro?

Reprodução do texto de Martha Mendonça, do blog Mulher 7x7

Pesquisa do site americano
The Frisky: amor verdadeiro significa compartilhar com seu parceiro a senha de seu email?
A-ha. Claro que você já pensou sobre isso.
A resposta imediata é: claro que não. Essa obrigação não existe para quem quer que seja.
A não ser que faça parte das regras que o casal estabeleceu para seu relacionamento - aliás, como tudo na vida a dois.
Em tempos de internet, ter acesso ao email do outro virou questão de dúvidas, debates e histórias. É fato que cada pessoa tem direito a sua individualidade e seus segredos. Mas será que é tão simples assim?
Então você está nesse relacionamento há bastante tempo, vocês se são bem, há confiança, fidelidade, alegria e tudo o mais. Um dia, sem mais nem menos, ele pergunta qual a senha do seu email. Como um teste. Uma prova de amor, sabe se lá. Você tem segredos para ele? Não. Há alguma mensagem que ele não possa ver? Não. Mas há uma questão “moral”. A senha do email é a última fronteira da minha individualidade, você pensa. Então resolve que não vai dar.
E então ele muda de tom: mas não quer dar por que? Tem alguma coisa que eu não possa saber? Não, você não tem. Mas acha que é uma questão de honra. Ele vai acreditar nisso? Você acreditaria? Invirta a historinha e pense nisso.
Parece coisa adolescente, mas tenho amigos de todas as idades que já passaram por alguma situação envolvendo senhas de email. Várias amigas descobriram traições ou quase-traições vendo as mnsagens dos namorados e maridos. Um amigo foi rastreado pela ex-mulher por meses.
A mensagens que trocamos na internet, seja por email ou msn são, na maioria das vezes, um mundo à parte, em que temos relações e experiências diversas das reais. Conheço muita gente que tem um comportamento paralelo na rede - uma espécie de identidade secreta, alter ego, em que fazem e dizem o que não faríam ou diriam nas condições normais de temperatura e pressão. Deixar que alguém veja, leia isso tudo, é como ser desmascarado - mesmo que não haja uma traição ou um segredo grave.
As opções de resposta no site são as seguintes:
a) Eu daria ao meu parceiro minha senhas de qualquer coisa. Mas se nós terminássemos, é claro, mudá-las seria meu primeiro procedimento!
b) Só se fosse necessário, como, por exemplo, eu pedir a ele que visse alguma coisa importante para mim, no caso de eu estar longe. Mas preferia manter minha privacidade.
c) Nunca! Não há qualquer motivo para meu parceiro saber minhas senhas. Posso confiar nele, mas isso não é de sua conta.
Por enquanto, a opção b está vencendo por 48% dos votos. Seria a minha também. E a sua?

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Simples assim

DIÁRIO DELA

No domingo à noite ele estava estranho. Saímos e fomos até um bar para tomar um drink. A conversa não estava muito animada, de maneira que pensei em irmos a um lugar mais íntimo. Fomos a um restaurante e ele AINDA agindo de modo estranho. Perguntei o que era, e ele disse que nada, que não era eu. Mas não fiquei muito convencida. No caminho para casa, no carro, disse-lhe que o amava muito e de toda sua importância. Ele limitou-se a passar o braço por cima dos meus ombros. Finalmente chegamos em casa e eu já estava pensando se ele iria me deixar! Por isso tentei fazê-lo falar, mas sem me dar muita bola ligou a televisão e sentou-se com um olhar distante que parecia estar me dizendo que estava tudo acabado entre nós. Por fim, embora relutante, disse que ia me deitar. Mais ou menos 10 minutos ele veio se deitar também e, para minha surpresa correspondeu aos meus avanços, e fizemos amor. Mas depois ele ainda parecia muito distraído e adormeceu. Comecei a chorar, chorei até adormecer. Já não sei o que fazer. Tenho quase certeza que ele tem alguém e que a minha vida é um autêntico desastre.


DIÁRIO DELE

O meu time perdeu. Fiquei chateado a noite toda. Pelo menos dei umazinha.
Mas ainda tô chateado... time de bosta!


por email

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Desculpe a franqueza...

Rapazes, uma dica para os que ainda não sabem...

Quando forem convidados para casa de uma mocinha e, por algum motivo (se é que tem tantos assim) usarem camisinha, por favor, tenham a fineza de dar o famoso nozinho na dita cuja e LEVEM A MESMA PRA BEM LONGE!!!

Não queremos ver, nem pegar, nem cheirar, enfim... É seu material e favor descartá-lo após o uso. Não é pra deixar no banheiro, nananinanão! Muito menos na cabeceira... Embaixo da cama, nem pensar!!! Leve com você da porta da rua pra fora.

E se não quiser pensar de maneira tão altruista, pense de maneira egoista. Bem, tem tanta mulher desesperada para casar e ter filho, quer melhor oportunidade pra pegar um trouxa que deixou a mona com a faca e o queijo na mão? Cuide de seu meninos e leve todos para um lugar seguro.

Muito obrigada. Ou talvez, de nada.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Constrangimento

Sabe quando você fica com alguém e é bem naquele dia que você tava totalmente despreparada?
Lingerie descombinando, depilou faz tempo, unha descascando? Além da época do mês não ser a mais propícia para um, digamos, contato físico mais íntimo? Arghhhh....
Aí, você leva o mocinho pra casa. O banheiro tem calcinha pra tudo quanto é lado, tinha que ter trocado a roupa de cama e deixou pra depois, lixo lotado, enfim, vários segredos comprometedores todos ali, ao alcance dos olhos, revelados por aquela titica de interruptor de luz?
Aí, você tinha bebido pra passar mal com os amigos, mas acabou se arranjando com o mocinho. E como faz? Por mais que se empolgue, o corpo tá mole, sem a menor condição de fazer qualquer exercício e é aquele desastre... A preguiça vence, além da cabeça ter travado por todo constrangimento dos detalhes descritos acima. Ai!!!!
E a conversa? Putz... O que é que eu tava falando mesmo? Ah, lembrei: besteira. Quer ser suuuper simpática e suuuuper conhecedora de tudo e só fala merda... Assuntos fascinantes que só uma bêbada com vergonha querendo se passar por sóbria sem vergonha tem total domínio...
E ele vai embora... Você dorme... E no dia seguinte.... Ai, que horror!!! A noite começa a se repetir na cabeça por flashes.... E cada flash é pior que o outro. Os detalhes da noite vão se apresentando aos poucos e aquela vontade de sumir vai crescendo, crescendo, crescendo...
AHHHHHHHHHH, quero MORRER!!! O bom que isso passa, mas até passar...

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Os dois menores e MELHORES contos de fadas do mundo!





1)  Conto de fadas para mulheres do séc. 21 - Vol I
Era uma vez uma linda moça que perguntou a um lindo rapaz:

- Você quer casar comigo?

Ele respondeu:  NÃO!

E a moça viveu feliz para sempre, foi viajar, fez compras, conheceu muitos outros rapazes, visitou muitos lugares, foi morar na praia, comprou outro carro, mobiliou sua casa, sempre estava sorrindo e de bom humor, nunca lhe faltava nada, bebia cerveja com as amigas sempre que estava com vontade e ninguém mandava nela.

O rapaz ficou barrigudo, careca, o pinto caiu, a bunda murchou, ficou sozinho e pobre, pois não se constrói nada sem uma MULHER.

FIM!!!

 
2)  Conto de fadas para mulheres do séc. 21 - Vol. II
Era uma vez, numa terra muito distante, uma linda princesa independente e cheia de auto-estima que, enquanto contemplava a natureza e pensava em como o maravilhoso lago do seu castelo estava de acordo com as conformidades ecológicas, se deparou com uma rã.

Então, a rã pulou para o seu colo e disse: 

- Linda princesa, eu já fui um príncipe muito bonito. Mas uma bruxa má lançou-me um encanto e eu transformei-me nesta rã asquerosa. Um beijo teu, no entanto, há de me transformar de novo num belo príncipe e poderemos casar e constituir um lar feliz no teu lindo castelo. A minha mãe poderia vir morar conosco e tu poderias preparar o meu jantar, lavarias as minhas roupas, criarias os nossos filhos e viveríamos felizes para sempre....

E então, naquela noite, enquanto saboreava pernas de rã à sautée, acompanhadas de um cremoso molho acebolado e de um finíssimo vinho branco, a princesa sorria e pensava: 

- Nem fo....den...do!
 
FIM!!!
 
(Textos atribuídos a Luís Fernando Veríssimo)

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Por que os homens tem medo das mulheres?

Trecho do artigo O caos no 'terrível reino das mães', do psicanalista Sérgio Telles:

"No inconsciente, o homem possui dois motivos para temer a mulher. O mais recente em termos de desenvolvimento é justamente a castração, cujo terror lhe é evocado pela visão do genital feminino. O outro motivo do temor que a mulher inspira no homem é mais arcaico e não é o medo da castração e sim o medo da aniquilação, da morte. Tal medo decorre de vivências muito precoces adquiridas pela criança no contato com uma mãe imaginada como detentora de um poder absoluto, arbitrário e imprevisível, ao qual o bebê está completamente exposto em seu desamparo. É uma ímago terrorífica da mãe, a mãe má, o seio mau de Melanie Klein, a mãe-bruxa, aquela que povoa o 'terrível reino das mães' na acepção de Goethe no Fausto, expressão cuja pertinência não passou despercebida a Freud."

Então, é isso??? Seus bananas!!!



via: Blog do Armando Antenore

sábado, 26 de setembro de 2009

Ao órgão responsável - Fernanda Young

"Caro Pênis
Tenho notado você olhando torto para mim. Às vezes, basta eu chegar e você se levanta. Por acaso, você tem algum problema pendente comigo?
O fato de nós estarmos em lados opostos não nos faz inimigos. Ao contrário, guardo um espaço especial para você, dentro de mim, e seria ótimo se pudéssemos nos unir em prol de algumas novas conquistas. Os atritos, como em qualquer relação, são normais e bem-vindos.
Você me acusa de ser difícil, mas não conheço personalidade mais instável que a sua. Quando eu quero conversar, você se recolhe. Quando canso de tentar, você se anima. Quando finalmente penso entender aonde você quer chegar, você se coloca numa posição diferente.
Sei que a vida talvez lhe pareça mais dura, já que é de você que são cobrados rendimento e desempenho. Mas o mundo não gira em torno da sua existência como você pensa. Diria até que, nas horas mais tensas, você sempre dá um jeito de ficar de fora. Até no momento em que sua participação se faz mais necessária, a continuidade da espécie, você se limita a entrar com metade da matéria-prima e deixa o resto para lá.
Dizem que eu tenho inveja de você - mas inveja de quê, afinal? Você, desculpe, está longe de ser bonito. Trabalha num ramo de atividade sem o mínimo charme: a remoção de detritos. Mora num lugar abafado, onde o sol nunca bate. Freqüenta locais escusos, de reputação duvidosa, em busca de um tipo de divertimento que já se encontra à mão, em sua própria casa. E aquele seu melhor amigo, convenhamos, é um saco.
Mesmo assim, quero frisar, tenho por você imensa consideração e simpatia. Mais que isso - sempre busquei a sua aprovação de alguma forma, atrás de sinais de que estaria lhe agradando. Você, por sua vez, nem sequer disfarça seu completo egocentrismo. Fazendo-se de sonso e sumindo após satisfazer as suas necessidades.
Você se diz sensível, porém jamais se preocupa com o que o outro está sentindo. Quer apenas ocupar o seu espaço e atingir as suas mesmas velhas metas de crescimento. Deveria tentar aumentar suas expectativas, ampliar seus horizontes, investir na sua cultura. Qual foi a última vez que você viu um filme decente?
Sei que dificilmente vou conseguir abalar sua enorme auto-estima, mas, sob o meu ponto de vista, você não passa de um solitário, perdido em sonhos impossíveis e cercado por uma situação bastante enrolada. Acha-se o máximo, superextrovertido e revela-se um bobo alegre com pinta de seboso. Um cabisbaixo baixinho carente, o tempo todo em busca de qualquer carinho.
Disponho-me a ajudá-lo, colega, caso você reconheça seus defeitos e fraquezas. Posso até te indicar um bom analista. Somente recuso-me a continuar a ser cúmplice na perpetuação de um equívoco.
Você não é melhor que ninguém, temos o mesmo tamanho nesta história - de fato, se você cabe em mim, sou necessariamente maior do que você."

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Lipo


Cirurgia de lipoaspiração? 
Herbert Vianna

Pelo amor de Deus, eu não quero usar nada nem ninguém, nem falar do que não sei, nem procurar culpados, nem acusar ou apontar pessoas, mas ninguém está percebendo que toda essa busca insana pela estética ideal é muito menos lipo-as e muito mais piração?
Uma coisa é saúde outra é obsessão.
O mundo pirou, enlouqueceu.
Hoje, Deus é a auto-imagem.
Religião é dieta.
Fé, só na estética.
Ritual é malhação.

Amor é cafona, sinceridade é careta, pudor é ridículo, sentimento é bobagem.
Gordura é pecado mortal.
Ruga é contravenção.
Roubar pode, envelhecer não.
Estria é caso de polícia.
Celulite é falta de educação.
Filho da puta bem sucedido é exemplo de sucesso.
A máxima moderna é uma só: pagando bem, que mal tem?

A sociedade consumidora, a que tem dinheiro, a que produz, não pensa em mais nada além da imagem, imagem, imagem.
Imagem, estética, medidas, beleza.
Nada mais importa.
Não importam os sentimentos, não importa a cultura, a sabedoria, o relacionamento, a amizade, a ajuda, nada mais importa.
Não importa o outro, o coletivo.
Jovens não tem mais fé, nem idealismo, nem posição política.
Adultos perdem o senso em busca da juventude fabricada.

Ok, eu também quero me sentir bem, quero caber nas roupas, quero ficar legal, quero caminhar correr, viver muito, ter uma aparência legal mas...
Uma sociedade de adolescentes anoréxicas e bulímicas, de jovens lipoaspirados, turbinados aos vinte anos não é natural.
Não é, não pode ser.
Que as pessoas discutam o assunto.
Que alguém acorde.
Que o mundo mude.
Que eu me acalme.
Que o amor sobreviva. 



" Cuide bem do seu amor, seja ele quem for "




quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Buquê de casamento para homens

Sei que não é bom generalizar as coisas, mas o vídeo merece essa postagem - uma imagem vale mais que um milhão de palavras.




video

Simplicidade feminina-Danuza Leão

Voltando a reprodução de textos de mulheres que não são do blog, aqui está uma sugestão de uma bananete:


"Os homens não entendem as mulheres. Por que será? Elas são seres simples, e basta prestar um pouquinho de atenção para saber o que passa em suas mentes. Mas, como elas não costumam dizer o que sentem, e eles não costumam perguntar, permanece a incompreensão. Para começar, uma mulher precisa, acima de tudo, se sentir desejada o tempo todo. Nada lhe agrada mais do que entrar num restaurante e sentir que todos olham para ela. Mulher sente isso no ar, e tem mais: não é necessário que seja um homem ao qual ela dedicaria ao menos um minuto de seus pensamentos. Se uma mulher receber o galanteio de um feirante - não que eles sejam os reis da sutileza ou, aliás, por isso mesmo -, se acha o máximo. E existem algumas que, quando estão com o moral baixo, vão dar uma volta no centro comercial da cidade, onde os homens são mais sensíveis ao charme feminino. Bem mais, seguramente, do que nos desfiles de moda.A obrigação de um homem é desejar a mulher que está com ele. Uma amiga me contou que se encontrou com um conhecido num avião e logo depois da decolagem ele perguntou, à quei ma-roupa, se ela queria transar com ele. Ela - no mínimo pelo inesperado da pergunta - nem soube o que responder. Concluiu o cavalheiro: "Bem, eu já fi z minha obrigação, então não se fala mais nisso''. Um gênio, convenhamos.Uma das coisas que os homens não sabem, e jamais saberão, é como agir depois da primeira transa. Vamos supor que tenha sido na casa dele. Quando ela acorda e abre os olhos, a primeira coisa em que pensa é: "Ai, meu Deus, e agora?" Levanta-se na ponta dos pés, recolhe os sapatos, a bolsa, as meias, esquece os brincos, claro, e sai de mansinho para que ele não acorde. Nessa hora só quer chegar em casa.Depois de tomar um banho, a cabeça começa a clarear e ela não sabe se muda de cidade, só para não encontrá-lo. O telefone fica na secretária de medo que seja ele - Deus a livre. A noite chega e ela começa a ficar nervosa. Não quer vê-lo nunca mais, mas ele tinha obrigação de ligar. Mas nada. Ah, que ódio. Ela tenta justificar. Afinal, saiu sem nem deixar um bilhete. Mas, bem lá no fundo, ela não entende como, depois de tudo o que aconteceu, ele não entra porta adentro dizendo: "Eu tinha que te ver".Pelo sim, pelo não, põe um jeans, uma camiseta e faz um rabo-de-cavalo para bancar a simplesinha se ele aparecer. Mas nada. A coisa começa a ficar preta. A não ser que ele tenha sofrido um infarto, nada explica esse silêncio. Se ele não der uma demonstração rápida de que aquela ficará como a noite mais inesquecível de sua vida, por mais moderna e liberada que ela seja, vai odiar es se homem como só uma mulher é capaz. Ao mesmo tempo, daria tudo na vida para que ele telefonasse. Afi nal, charmoso ele é. Mas, como seu prazo emocional está no limite, se ele ligar vai tratá-lo como se trata um cachorro. Elas são assim. Mas vocês, homens, ainda não aprenderam? Custa ligar? Nem que seja para dizer que ela esqueceu os brincos?"

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Case-se com seu terceiro namorado/a?


Recebi este artigo publicado em um blog na minha caixa de e-mail. Nem sei como chegou na minha caixa de mensagens, mas achei interessante publicar isso aqui. O artigo foi escrito por Stephen Kanitz e, em suma, utiliza estatísticas para corroborar a idéia de que existe uma grande possibilidade de você, querida amiga, se casar com seu terceiro ou terceira namorada. Será que é isso mesmo?


Dando a real, escreve:



  • "Você nunca poderá namorar todo mundo do mundo, antes de decidir, e portanto o 100% ou 99% normalmente é uma meta impossível. Além do mais é neste grupo que se encontram a Cameron Diaz e George Clooneys. Portanto diz a teoria, case-se com sua terceira namorada. Até porque não tem algo muito melhor dando sopa por aí."


  • "Depois da terceira escolha, as chances de você piorar sua situação é grande, porque elas e eles não ficam dando sopa eternamente e seu universo poderá começar a diminuir à medida que todos forem se casando. As chances de você ficar com nenhuma esposa ou marido são maiores do que continuar à sua procura."

Leia o artigo. Muito interessante!












Depois de lê-lo, lembrei-me de um filme onde uma mulher bota na cabeça que o verdadeiro amor da vida dela será o seu sétimo namorado. Loucura, loucura. Mas bom que ela se divertiu e acabou se casando e vivendo feliz para sempre com o gostosão número 6. Não sei se a idéia de um número de namorados é interessante e plausível. Estatisticamente, pra não ficar a ver navios, seria o terceiro. Viver na esbórnia e se casar com o 143º namorado ou namorada, também é possível - mas arriscado. Mas será que existe fórmula? Acho que não. Mesmo sabendo que não existe príncipe ou princesa perfeitos, aos trinta anos de idade continuo procurando e, quando não dá certo mesmo, bola pra frente - morrer de amor é pura ficção.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Vamos deixar de lero lero, vem pra cá que eu também quero

Toda vez é a mesma coisa: você fica com alguém e o dia seguinte é um tormento!!!
Tenho amigas que preferem pegar o telefone do cara e não dar o delas e manter a bola no próprio campo. Eu não consigo isso, não dá. Eu fico na minha, esperando o sacar do celular do bolso e, aí sim, tiro o aparelho da mão do rapaz em questão e digito eu mesma o número. E boto o meu nome. E salvo. Não, não precisa ligar de volta na hora porque eu vou passar a ter o número dele e não, eu não sou a primeira a ligar. E, caso a pessoa tenha dado o número errado de propósito, imagine o vexame! Melhor descobrir no dia seguinte. Será?
Por que que tem que ser assim? Porque dar o número errado se seria mais fácil falar logo: “olha, não rola, tá? Não precisa pegar meu número porque se hoje você não me conveceu, não vai ser por telefone, né mesmo?” E a pessoa poderia entender, afinal todos já estivemos nos dois lados... E pronto, bola pra frente.
Mas e quando a coisa rola perfeita, tudo encaixadinho, tudo muito divertido, a música é boa, os amigos super simpáticos e os dois ficaram a fim. Já podíamos passar logo pro: “Aqui, papel e caneta. Bota aí nome completo, celular email e Orkut. E agora? Na minha casa ou na sua? Bora dormir de conchinha?” E outro só faria cara de “ouhhmnnn, ti fofu” e seriam felizes e descomplicados para sempre.
Mas não... Não pode ser tão simples... O cara pega o seu número e deixa pra ligar às 8 horas da noite de domingo quando, ou você já está de pijama vendo vídeo-cassetada ou já arranjou outro esquema. E quando liga não podia ser assim: ”Olha, to te querendo, entendeu? É lógico já que estou ligando, né? Tô indo praí”. Que nada!!! É cheio de códigos e silêncios constrangedores. “Ah, to ligando só pra dar um oi...” Um oi? Um OI, meu querido??? Tanta outra coisa pra você me dar e você me dá oi? E você responde, sem graça: “Ah, então tá... A gente se fala”. Se FALA? A gente se beija, fia, helloooouu! E pronto, desligam. Aí começa um novo tormento... Até um dos dois tomar coragem novamente, enquanto o outro rói todas as unhas e fica repetindo na cabeça tudo que falou pra tentar lembrar que besteira soltou pro outro não ter ligado até agora.
Fala sério! Citando Odorico Paraguaçu, vamos pôr de lado os entretantos e partir para os finalmentes. Podíamos ser mais sinceros e não ligar quando não quisesse e ligar quando tivesse vontade, por que não? Afinal, em algum momento alguém que a gente não era tão afim ficou correndo atrás da gente e, sendo sincera, foi gostoso. E quando a gente corre atrás, a adrenalina da dúvida também é tudo de bom. Então, vamos pegar todos os números quando for bom e ligar sempre, quem sabe não rola de dormir de conchinha ainda esta noite?

domingo, 13 de setembro de 2009

Guetos

Poir é que gueto social existe. Inevitável. Realidade contemporânea - e hitórica. Todo mundo tem amigos divididos por grupos: galera da faculdade, galera do colegial, galera da sinuca, galera gay, galera pinguça, galera de acampamento e por aí vai. Quando se trata de sair a noite geralmente temos que escolher em que gueto vamos nos divertir - claro que diversão é garantida quando se trata da companhia de amigos. Mas às vezes isso enche o saco, sabia? Poir quando se trata de você querer sair com suas amigas para a balada sendo que a balada e hétero mas você é gay. Complicada a situação - porque hoje em dia existe sim a segregação social relacionada a opção da sexualidade de cada um. Consequência disso tudo: a solteirice volta e meia te faz optar para aquela balada onde você tem maior chance de paquerar - afinal, ninguém é de ferro a ponto de simplesmente sair sempre para aproveitar a pista de dança. Flertar é preciso!

Particularmente eu não tenho problemas em participar de baladas direcionadas a públicos cuja escolha sexual seja x, y ou z. Mas nem todo mundo é assim e chegamos ao ponto onde muitas vezes deixamos de aproveitar a companhia de alguns amigos em detrimento da nossa necessidade de paquerar na noite. Seria bem mais fácil se não houvesse lugares específicos onde se pode beijar uma menina ou não - a homossexualidade incomoda muita gente e quem tem bom senso respeita os ditos sociais da atualidade.

Claro que existem lugares onde a sexualidade não importa, as diferenças muito menos. Seria ideal se todo lugar fosse assim. Na verdade seria ideal se a sexualidade de cada um não interferisse tanto na vida das pessoas a ponto de ditar como se deve agir em cada segundo da vida. Esse é um assunto que ainda é tratado como tabu e assim será por um longo período de tempo. Até lá acho que teremos que nos dividir em grupos ainda e respeitar as diferenças nossas dos nossos amigos que amamos, mesmo que ainda tenhamos que passar por situações do tipo: "Oi, meu nome é A., sou gay e essa é minha melhor amiga, M., que é hétero".



quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Armário Feminino

É difícil começar um assunto como este, tão delicado, pois se trata primordialmente da sexualidade feminina. É um tema complexo e, portanto, muita gente pode ter a tendência em julgar o Blog Batida de Banana - mas leia, interprete e reflita primeiro sobre informações aqui compartilhadas antes de pensar que se trata de um assunto "off topic".

Muitas mulheres, algum dia na vida, se deparam sobre questões relacionadas a sua própria sexualidade. Um coração partido trilhões de vezes pode desencadear a desilusão (ou ilusão) de que não há luz no fim do túnel para seus planos de romance com final feliz. E muitas vezes bate uma insegurança quanto sua "escolha", especialmente diante de uma sociedade onde se subjuga que todos devem "optar" pela heterossexualudade - é o sonho da família ver sua filha querida subindo ao altar, comprando sua primeira casa e cuidando dos seus filhos e marido. Mas nem sempre é essa a realidade. A dúvida quanto a sexualidade é enorme, especialmente entre mulheres, e hoje em dia cada vez mais cedo as mulheres, ainda adolescentes, começam a se questionar a respeito desse tema.

Segundo um estudo psicológico realizado pela Universidade de Utah (EUA), publicado em janeiro de 2008, a bissexualidade feminina não é apenas uma fase de transição ou indecisão, mas sim uma orientação sexual específica. De acordo com a pesquisadora do estudo, Lisa Diamond, duas em cada três mulheres entrevistadas em seu estudo tinham mudado sua preferência sexual pelo menos uma vez. Em seu livro "Sexual Fluidity - Understanding Women's Love and Desire" (ainda não disponível em português), concluiu que a diferença entre lesbianismo e bissexualidade é mais um assunto de grau do que de substância, embora reconheça a dificuldade de definir o próprio conceito de bissexualidade, já que não sabe se se deve conceituá-la como instância passageira de atração por uma pessoa do mesmo sexo ou como atração regular, forte e sustentada por pessoas dos dois sexos.

Ainda neste livro, a autora recorre a Escala de Kindsey para corroborar a ideia de "fluidez" da sexualidade feminina. "A Escala de Kinsey tenta descrever o comportamento sexual de uma pessoa ao longo do tempo e em seus episódios num determinado momento. Ela usa uma escala iniciando em 0, com o significado de um comportamento exclusivamente heterossexual, e terminando em 6, para comportamentos exclusivamente homossexuais".



"Homens não são representados através de duas populações discretas, heterossexual e homossexual. O mundo não é subdividido em carneiros e cabras. É um fundamento da taxonomia que a natureza raramente pode ser tratada em categorias discretas. O mundo em que vivemos é contínuo em todos e em cada um dos aspectos. Quando enfatiza-se a continuidade das graduações entre os heterossexuais e homossexuais exclusivos ao longo da história, parece ser desejável desenvolver uma gama de classificações que podem ser amparadas em quantidades relativas de experiências e respostas heterossexuais e homossexuais em cada caso... Um indivíduo pode ser associado numa posição da escala em cada período de sua vida. Uma escala de sete categorias aproxima-se de representar as várias graduações que existem atualmente" (Kinsey, et al. (1948). pp. 639, 656).


Esta entrada no Blog Batida de Banana não sugere, de modo algum, que todos os seres humanos sejam por natureza bissexuais e que sempre flutuam, quanto a sua sexualidade, entre extremos homo e hétero. Também não queremos minimizar ou menosprezar políticas relacionadas a comunidade LGBT. E muito menos existe aqui a idéia de rotular a sexualidade das pessoas - o intuito dessa entrada é simplesmente abrir uma brecha para a discussão da nossa sexualidade (feminina). Aqui neste blog gostamos de discutir, trocar ideias, informar, rir e contar histórias sem julgar os outros, senão a nós mesmas. Afinal, este é um assunto que não podemos evitar nem negligenciar - não se tapa o sol com a peneira.

Perguntinha: Se você quisesse se rotular (por um segundo) em uma das categorias do Dr. Kinsey, qual seria seu resultado na escala? (não importa se você já beijou ou não uma mulher... pense em você, nas suas vontades, interesses e atrações para responder essa pergunta - se quiser!)

quarta-feira, 11 de março de 2009

Clichê

Certo. É um vídeo antigo e pode-se dizer que faz parte da maioria dos vídeos favoritos dos usuários do Orkut ou Facebook.

Mas que mal há em clichês?

É bom começar o ano (pós-carnaval) com algo inspirador - seja para usar filtro solar ou para seguir algumas dicas da autora do texto, Mary Schmich (Chicago Tribune). A música é de Baz Luhrmann.







Letras, informacoes e etc. aqui e também aqui.

Feliz ano novo :)

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

É só banana

Texto sugerido por nossa correspondente em Córdoba - Argentina. "Não é por acaso que nosso blog se chama Batida de banana". Aliás: somos Batida de Banana.

Depois de lerem isto, nunca mais vão olhar para uma banana da mesma maneira.





Contendo três açúcares naturais; sacarose, frutose e glucose, combinados com fibras a banana dá-te uma reserva instantânea de energia. Pesquisas provam que somente 2 bananas dar-te-ão energia para 90 minutos de trabalho pesado. Não admira a banana ser o Fruto mais consumido entre os atletas.

Mas energia não é o único benefício que a banana nos traz, ela ajuda-nos a prevenir um substancial número de doenças.

::Depressão::
De acordo com recentes estudos, a maioria das pessoas que habitualmente sofrem com depressões sentiram-se substancialmente melhor depois de comerem uma banana. Isto acontece porque a banana contém um tipo de proteína que o corpo converte em serotonina, substância que se sabe que ajuda a relaxar e te faz sentir melhor.

::Anemia::
Fortes em ferro, as bananas estimulam a produção de hemoglubinas e ajudam em caso de anemia.

::Pressão Arterial::
Este fruto tropical é muito rico em potássio e pobre em sal sendo perfeito para descer a pressão arterial. A Food and Drug Administration, nos Estados Unidos até permitiu aos produtores de bananas usarem isso como publicidade.

::Cérebro::
200 estudantes comeram uma banana ao pequeno almoço, ao almoço e ao lanche e provou-se que o potássio presente no fruto ajudou-os a melhorar a sua concentração.

::Obstipação::
Em fibras, a inclusão de bananas nas dietas ajuda a normalizar o trânsito intestinal, permitindo debelar os problemas sem o uso de laxantes.

::Dor de cabeça::
Uma das maneiras mais rápidas de curar uma dor de cabeça é fazer um batido de banana com mel. A banana acalma o estômago e com a ajuda do mel aumenta os níveis de açúcar no sangue enquanto o leite acalma e hidrata todo o teu sistema.

::Cansaço matinal::
Comer uma banana entre as refeições ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue elevados, combatendo o cansaço.

::Picadas de insectos::
Quando fores picado por um insecto, experimenta esfregar a zona afectada com a parte de dentro de uma casca de banana. Verás como a irritação vai acalmar.

::Nervos::
Bananas são ricas em vitamina B, que acalmam o sistema nervoso. Pesquisas em 5.000 pacientes, chegaram à conclusão que os mais obesos são aqueles que têm trabalhos de muita pressão. Orelatório concluiu que para combater isto, devemos controlar os nossos níveis de açúcar no sangue devendo consumir comida com muitos hidratos de carbono, como a banana.

::Úlceras::
A banana é usada nas dietas contra as desordens intestinais pela sua textura suave e por causa de ser um fruto muito macio. É oúnico fruto que pode ser comido sem causar distúrbios mesmo nos casos mais graves. Ela também neutraliza a acidez excessiva e reduz a irritabilidade criando uma camada nas paredes do estômago.

::Controle de temperatura::
Muitas culturas vêm a banana como um fruto "calmante" porque consegue baixar a temperatura, quer física quer emocional, nas mulheres grávidas. Na Tailândia, por exemplo, é hábito as mulheres grávidas comerem bananas para se assegurarem de que o seu filho nasce com a temperatura correcta.

::Fumar::
As bananas podem ajudar quem quer deixar de fumar. As vitaminas B6 e B12, o potássio e o magnésio que contêm, ajudam o corpo a recuperar dos efeitos da falta de nicotina.

::Stress::
O potássio é um mineral vital que ajuda a normalizar o batimento cardíaco, que auxilia a ida do oxigénio para o cérebro e que regula a repartição de água pelo corpo. Quando estamos "stressados" o nosso metabolismo altera-se reduzindo os níveis de potássio. Podemos ajustá-los com a ajuda deste fruto, rico em potássio.

::Cortes::
De acordo com o "New England Journal of Medicine", comer bananas regularmente pode reduzir o risco de morte por cortes até mais de 40%!

Assim, a banana é um remédio natural para muitos males. Comparando-a com a maçã, tem o quádruplo das proteínas, o dobro doshidratos de carbono, três vezes mais fósforo, cinco vezes mais vitamina A e ferro e o dobro das outras vitaminas e minerais. É um fruto rico em potássio e uma das mais saudáveis comidas existentes.






Fontes: Texto "Republica das bananas" e Tabela.
Imagem: Just Banana It.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Eu quero dois closets

O sonho de todas nós.

video

Um armário gigante só para sapatos e roupas, outro para... pode até caber um Ricardão também.

domingo, 4 de janeiro de 2009

Adocica

Relendo um pouco o que foi escrito em 2008 neste blog, vejo que realmente eu e minhas amigas do blog sofremos de TPM. Tem post que tá azedo, outro amargo, outro apaixonado, outro irritante e aquele utópico. Só quem passa por constante revolução hormonal (grave!) sabe disso - ou seja, nós XX.

Um dia a gente fala, com bom humor e dedo ligado no f@da-se, sobre as histórias bizarras que acontecem conosco e muitas mulheres no mundo inteiro. E chuta que é macumba!!! Outra vez a gente fica indignada com marmanjo dizendo que namorada não se arruma em balada. Às vezes a gente reclama de saudade da amiga que está namorando e ela reclama que você reclamou :) Democracia sempre e amizade acima de tudo! Um dia a gente se cansa e resolve tirar férias da vida emocional conturbada e decreta a solteirice como filosofia de vida (claro que esse radicalismo não dá certo). Dor de cotovelo, amores mal resolvidos, piadas e brincadeiras sobre os homens e as mulheres (pitadas de feminismo e machismo, às vezes), textos de auto-ajuda para quem tá como você, sem assunto ou simplesmente perdida, fazem parte da batida de banana. Também constatamos que a coisa está preta e que o comportamento moderno do ser humano, apesar de conhecido, é cada vez mais complexo e quase que irremediavelmente (existe esse advérvio?) solitário e inflexível para as situações que nos fazem ter medo - medo de arriscar, medo de sentir, medo de compartilhar. Chegamos à conclusão que todo mundo quer e sabe dar o melhor de si; mas não sabemos receber de volta.

Meu terapeuta sempre me fala que eu tenho que aprender receber. Baixar a guarda, deixar a luz do sol entrar. Não adianta dar o melhor de si, imaginar que tudo vai ser mil maravilhas na vida se a gente só entrega o que temos, sem ter a coragem de saborear o que vem de volta. No final das contas acabamos ficando com fome, sem energia e com expectativas frustradas - porque nunca olhamos para o outro para vermos o que ele/ela tem a nos oferecer.

Um pouco de doce. Será que é isso que temos que colocar em nossas vidas? Relacionamentos (seja entre namorados, ficantes, em família ou entre amigos) com uma direção de sentimentos acaba azedando. Ninguém ganha. Ficar na defensiva todo o tempo nos deixa mais amargos e sem visão do que acontece lá fora ou simplesmente do lado. Oportunidades passam e o que poderia ser doce passa sem sabor pela vida.




Arriscar? Ai!! Que medo! Será que vai dar certo? Será que vou quebrar a cara mais uma vez? Pra que dar chancce do amargo chegar nas papilas? Melhor ficar no insípido? E se aquele chocolate não for amargo e sim ao leite com amêndoas? Melhor experimentar, né? Quem encara o desconhecido? Os espanhós e portugueses desbravaram o mundo desconhecido contando que cairiam num abismo logo ali no horizonte do Oceano Atlântico... Mas que surpresa! Eis a América! E depois outros lugares magníficos.

Acho que é nossa natureza procurar o que adocica a vida. Uns com mais coragem que outros. Mas ficar parado não faz parte do ser humano. Que tal tentar achar o doce que pode equilibrar o excesso de NaCl que guardamos na gente?

Bem... que não esqueçamos, desde já, que precisamos aprender a receber o outro de braços abertos. E que lembremos que adocicar a vida faz bem (em doses equilibradas).


"Adocica, meu amor, adocica...
Adocica, meu amor, a minha vida, oi..."

2009: Seja bem-vindo!

Mais um ano começa em nossas vidas e comemoramos o primeiro ano dBlog Batida de Banana. Passou rápido. 2008 foi um ano cheio de conquistas, de cumplicidade, de encontros e desencontros, de amor, de partidas e chegadas, de diversão, de felicidade. É difícil fazer uma retrospectiva de um blog e mais ainda da vida de cada uma de nós que fazemos parte desse espaço virtual. E nem é essa a idéia - fazer um resumo do ano que passou.

Essas linhas são simplesmente para saudar o ano novo que chega, comemorar um ano de blog - mesmo ainda sem sabermos ao certo que rumo este vai tomar (até hoje ainda não decidimos a "linha do blog" e acho que jamais o faremos - vamos com as marés...) - e nos abraçarmos, com todos os leitores do Batida de Banana, de forma a agradecer as histórias aqui compartilhadas.

Entremos todos com o pé direito em 2009 e...

Batida de Banana continua!


Créditos da imagem: Carolina Sunshine Creations.